Projeto De Olho nos Olhos

English Version English Version

A 3ª fase do Projeto (de Nov/2016 à Mar/2019) executou o plantio de 130 mil mudas de árvores nativas, protegendo 180 hectares de Mata Atlântica, através da restauração de 206 nascentes.

Em 2016 o projeto iniciou suas atividades atendendo a população rural de 10 municípios do sul de Minas Gerais, ao final desta 3ª fase em março de 2019, o projeto já atendia e beneficiava a população de 16 municípios da região, estando a maioria dos municípios localizados em Unidades de Conservação importantes, como a Área de Proteção Ambiental – APA Fernão Dias e APA Serra da Mantiqueira, entre outros municípios localizados nas Bacias Hidrográficas do Rio Sapucaí e Rio Verde.

Mapa Cidades atendidas pelo Projeto

O projeto apoiou o Viveiro Florestal da instituição para a produção de parte das mudas utilizadas no projeto, as quais foram plantadas ao longo da execução do mesmo. No total foram plantadas 130 mil mudas de árvores nativas da Mata Atlântica. Em paralelo foram promovidas atividades de educação ambiental junto aos alunos e comunidades rurais dos municípios  envolvidos com o projeto.

Para a implementação desta fase do projeto o Grupo Dispersores contou com a parceria do Projeto Plantando o Futuro, através da Companhia de Desenvolvimento  de Minas Gerais – CODEMGE e do Governo do Estado de Minas Gerais.

A recuperação de uma nascente degradada consiste em recuperar a mata nativa no entorno do olho d’água, onde a área de preservação permanente (APP) da nascente é cercada (com mourões e arame farpado em um raio de 50 metros) e são introduzidas mudas de árvores nativas incentivando a regeneração natural na área desmatada. Uma nascente protegida e reflorestada garante a conservação da água na propriedade e consequentemente abastece nossos rios e nossa bacia, levando água para o abastecimento humano nos centros urbanos.

Projetos como este beneficiam proprietários rurais interessados em recuperar suas nascentes, pois quando selecionados, recebem gratuitamente toda assistência técnica necessária, além de insumos como mourões e arame farpado para cercar e proteger a área da nascente, assim como mudas de árvores nativas para iniciar o processo de revegetação da área desmatada. Estas ações visam principalmente a conservação dos recursos hídricos.

Vídeo sobre o projeto

Relatório de Atividades: